A criação da Tabela da Fipe

Esta reportagem relata o trabalho projeto da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas que resultou na conhecida Tabela Fipe. [Do original neste link]

origemtabelafipe

Uma lista com os preços de carros novos e usados vai facilitar a vida dos que trabalham com o setor automobilístico. A tabela, elaborada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas da Universidade de São Paulo (Fipe-USP), em convênio com a Fundação Nacional de Seguros Privados e de capitalização (Fenaseg), vai servir como referência para os consumidores e seguradoras – no momento da indenização – em caso de perda total ou roubo do veículo.

De acordo com a tabela, que é divulgada mensalmente, os carros usados da região Nordeste, por exemplo, são cerca de 2,5% mais baratos do que nas outras regiões brasileiras. Já os veículos novos da região nordestina são, em média, 4% mais caros do que os de outras regiões. “Pode-se dizer que isso se deve aos custos de frete”, analisa o professor Fernando Haddad, consultor da Fipe e coordenador do novo projeto.

Referencial – Apresentando valores médios dos veículos nacionais e importados, novos e usados (desde o ano de 85 até agora), a lista será de extrema importância para os que lidam com seguros de automóvel. “Ao assinar o contrato do seguro, o cliente poderá definir com a seguradora que este será o referencial para o pagamento do sinistro”, explica Júlio Avellar, vice-presidente da Fenaseg. Dessa forma, transforma-se um valor que, antes, era fluido, em algo real, completa.

Para construir a tabela, os técnicos da Fipe fizeram milhares de cotações, utilizando como base jornais, feiras, concessionárias, lojas etc. “Nossa amostra mensal supera 40 mil preços, levando em conta todo o país. O cálculo da tabela é feito da seguinte forma: primeiro, eliminamos os casos extremos. Depois, cada célula (ano do carro, por exemplo) é fixada a partir do número mínimo das cotações. Tira-se então uma média e construímos a lista (base nacional)”, explica Haddad.

A primeira tabela de preços estreou neste mês de maio. Segundo Fernando Haddad, diariamente, cerca de 8 mil pessoas visitam o site www.fipe.com para se consultar. “Também estamos abertos a críticas. Quem desejar opinar sobreesse novo projeto, é só escrever para o endereço [email protected] com”, completa.

É válido salientar que esta tabela é divulgada tomando a base Brasil. “Depois das pesquisas e cotações, chegamos à conclusão que as diferenças nacionais de preços de carros são menos significativas do que se supunha. Os valores nas diversas regiões brasileiras têm uma variação em torno de 5%”, analisa Haddad. É na região Sudeste, por exemplo, que são encontrados os carros novos mais baratos, isso por conta da grande concentração de montadoras na região.

Serviço Público – Como se pode notar, a lista servirá como uma espécie de serviço público, ajudando tanto na avaliação para o pagamento de um sinistro como também para aqueles que desejam comprar ou vender um carro. “É uma maneira prática, simples e moderna de se fazer um bom negócio”, explica Haddad

Num país que adora carros, essa tabela será um instrumento a mais para servir a população. “Mas é importante frisar que esta é uma tabela de preço médio; as transações reais são realizadas em torno desse valor que, na verdade, é um referencial”, explica Fernando. O coordenador do projeto ainda completa: ” Ainda temos muito o que fazer. Já está sendo criado um Conselho Consultivo, onde estamos chamando os procons e órgãos oficiais para aperfeiçoar a coleta e metodologia aplicada na tabela. Esperamos que, muito em breve, uma nova lista esteja concluída: a de preços de motos, caminhões e ônibus”.

[wqs]

VEJA QUAIS SÃO OS CARROS, MOTOS E CAMINHÕES QUE MENOS PERDEM VALOR SEGUNDO A TABELA DA FIPE